Com ações integradas, Prefeitura de Palmas reduz queimadas em 70%

0
16

O combate a incêndios florestais e queimadas não autorizadas vem se consolidando como um programa de caráter permanente no Município de Palmas, com excelentes resultados na proteção do meio ambiente. Com ações integradas e continuadas envolvendo diversos órgãos públicos municipais e a sociedade civil organizada, a Prefeitura de Palmas conseguiu, em 2021, reduzir a área atingida pelo fogo em 70%, na comparação com 2020.
Conforme dados do relatório do Comitê Previncêndios de Palmas, que será apresentado junto com o relatório estadual nessa quarta-feira, 24, a área atingida este ano foi de 10.096,51 hectares (ha), contra 32.857,14 ha queimados em 2020. A Brigada Previncêndios da Capital atendeu 96 ocorrências neste ano, com 20 brigadistas. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 44 focos de calor em Palmas em 2021, enquanto que, em 2020, foram 81 focos.
A redução da área queimada em 2021 resulta de ações iniciadas ainda em 2020. De agosto a dezembro, as atividades preventivas em campo alcançaram mais 400 quilômetros entre aceiros, limpeza de acessos, mapeamentos e monitoramento in loco, priorizando áreas públicas municipais (APMs) e de preservação permanente (APPs). Também foram realizadas visitas em mais de 500 propriedades rurais, palestras educativas e blitz educativa, além de capacitações de proprietários rurais.
“O cuidado com o meio ambiente não é tarefa de um único órgão público e essa construção coletiva feita pelo Comitê Previncêndios de Palmas possibilitou o resultado positivo na redução da área queimada. Atuamos diretamente com os brigadistas e a Guarda Metropolitana Ambiental e temos a satisfação de atender a população e integrar uma ação tão organizada e comprometida”, avalia a secretária municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), coronel Alaídes Machado.
A secretária destaca a participação dos atores da sociedade civil organizada como fundamentais na soma de esforços para prevenir e combater as queimadas, como as concessionárias de água e de energia, e associações de moradores e produtores rurais.
“Uma das ações adotadas fundamentais é a capacitação das brigadas comunitárias e empréstimo de equipamentos feitos pela Prefeitura de Palmas. Tivemos essa experiência em 2020 com a Associação Água Doce, na região de Taquaruçu Grande, e este ano ampliamos para o Projeto de Assentamento (PA) Serra Taquaruçu. Como são locais na zona rural e a equipe de brigadistas não consegue chegar rápido, os moradores capacitados adotam as primeiras medidas quando o incêndio ainda está no início e, com isso, os danos serão menores”, detalha o superintendente da Defesa Civil de Palmas, Bruno Maciel Grama.

Previncêndios
O presidente da Fundação do Meio Ambiente (FMA) de Palmas e do Comitê Previncêndios de Palmas, Fábio Chaves, conta que, antes da instituição do Comitê, existiam ações de prevenção e combate às queimadas que eram desenvolvidas pelas secretarias municipais e pela comunidade, mas não eram articuladas. “Agora, com a união dessas iniciativas, com participação de lideranças comunitárias importantes no trabalho de proteção ambiental, tivemos esse resultado positivo e vamos melhorar ainda mais, como a continuidade do trabalho com a manutenção dos brigadistas para atuarem na recuperação das áreas queimadas e das capacitações”, pontua.
O Comitê já iniciou a recuperação da área afetada pelas queimadas no Parque Sussuapara, com os brigadistas fazendo o plantio de mais de 400 mudas da vegetação nativa do Cerrado. A próxima ação de recuperação será em uma área próxima ao Estádio Nilton Santos. “É um ciclo de ações contínuas, prevenção e preparação com palestras e visitas educativas, capacitações e realização de aceiros e limpeza; resposta, que é o combate às queimadas diretamente; e recuperação, que consiste em fazer o plantio das áreas danificadas para fazer a recuperação da área queimada”, detalha Chaves.
O Comitê Municipal de Prevenção, Controle e Combate aos Incêndios Florestais e Urbanos no município de Palmas (Comitê Previncêndios de Palmas) é vinculado à FMA, com atuação direta da Sesmu por meio da Superintendência da Defesa Civil de Palmas, e participações das áreas do turismo, rural, educação, saúde, infraestrutura e comunicação. O Comitê Previncêndios de Palmas foi criado em 3 de junho de 2020 por meio do Decreto 1.901.